sábado, 17 de fevereiro de 2018

#Oscars2018 - Lady Bird


Sinopse: Christine McPherson está no último ano do secundário e o que mais deseja é ir estudar para uma faculdade longe de Sacramento, Califórnia, ideia rejeitada por sua mãe. Lady Bird, como a rapariga de forte personalidade exige ser chamada, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Enquanto a hora não chega, ela divide-se entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com a mãe.

Opinião: Quando vi este filme eu estava constantemente a pensar, "eu já fui esta miúda", uma das coisas boas deste filme é que facilmente nos identificamos com alguma historia, ou alguma parte do filme. Conseguimos sentir alegria, tristeza, angustia, raiva e nostalgia constantemente ao longo do filme. A relação complicada com a mãe, a relação carinhosa com o pai, as novas descobertas, os melhores amigos, a angustia de entrar na faculdade, tudo isto nos faz lembrar algum momento da nossa vida, e os actores pegam neste enredo e enaltecem-no ainda mais. Saoirse Una Ronan, a actriz principal, transporta-nos para outro tempo e tem uma actuação brilhante ao longo do filme, merecedora sem dúvida do destaque que tem. 
Apesar do sucesso não aposto neste filme para vencedor de Oscar melhor filme, contudo está muito bem encaminhado, e decerto que vencerá pelo menos um Oscar numa outra categoria. 


A minha classificação7.5 /10 
Classificação IMDB7.8 /10 


Trailer



quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

#Oscars2018 - Three Billboards Outside Ebbing, Missouri


Começo esta minha saga de review's dos filmes nomeados para os Oscars com o que até agora está no topo da minha lista. Ainda só vi metade dos filmes da lista de nomeados mas sem dúvida que este filme está muito bem encaminhado para ficar no meu top 3 de favoritos à estatueta. 

Sinopse: O filme apresenta-nos Mildred Hayes (Frances McDormand), uma mãe revoltada com a justiça da sua cidade uma vez que a Polícia local, liderada pelo Xerife Willoughby (Woody Harrelson), foi incapaz de resolver o caso de violação e homicídio que tirou a vida a Angela Hayes, filha de Mildred. Ao fim de 7 meses sem respostas, Mildred faz uma jogada arriscada que desperta toda a atenção da policia.

Opinião: Este não é o típico filme dramático que estão à espera de ver, apesar de o drama estar todo lá de uma forma tão intensa e brutal. 
O filme é muito mais do que uma comédia negra e dramática que trata de um assunto demasiado delicado, violento e triste de uma forma tão natural e adicionando sempre humor no enredo que acaba por tornar o filme único, com um argumento incrível que dá liberdade para os actores brilharem. E como ele brilham. Frances McDormand está nomeada para melhor actriz principal e podem dar-lhe já a estatueta! E estou a torcer muito, muito mesmo que Sam Rockwell leve também para casa a estatueta de melhor actor secundário, porque esta personagem fascinou-me, a evolução da personagem está tão bem conseguida. 
Filme incrível, só posso recomendar que vejam e revejam. 


A minha classificação: 9 /10 
Classificação IMDB: 8.3 /10 

Trailer


E vocês, já viram? O que acharam? 

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

dias cinzentos

Todos os dias subo as escadas da biblioteca onde mais tempo passamos juntos a segurar o meu pequeno coração à espera de te encontrar. Aperto-o com força e peço-lhe para ter calma.
Os últimos três degraus são os mais difíceis, o meu coração salta ferozmente de impaciência e quase que não o consigo controlar. Desafio as leis da física, e enquanto subo o ultimo degrau, tento ver através da parede se tu estás lá. Naquele milésimo de segundo peço a todas as forças do universo que te ponham ali atrás daquela parede que estou prestes a cruzar.
A pior parte surge quando começo a cruzar a esquina e finalmente posso ver a mesa onde habitualmente estás. Primeiro vejo a pontinha da mesa e os meus olhos e o meu coração procuram por vestígios teus. Dou mais um passo e finalmente consigo ver.  O meu coração esmorece. Dou de caras com um rosto que não é o teu. Nesse momento sinto que aquela pessoa que está a ocupar a "tua" mesa não deveria estar ali. Sinto-me como se te tivessem roubado um bem precioso. Mas na realidade estou só desiludida por não seres tu a estar ali sentado.
Neste momento o meu coração já diminuiu de tamanho, encolheu e retraiu-se como se tivesse sido atingido por qualquer objecto cortante. A vista fica turva e o sorriso desvanece.
A única certeza que tenho naquele momento é a de que o meu dia vai ser absolutamente cinzento.

sábado, 27 de janeiro de 2018

Tenho saudades tuas. Sinto que nem sequer te conheço e mesmo assim tenho saudades tuas.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

#Oscars 2018

A saga dos Oscars começou! Confesso que ando a falhar e que ainda só vi um dos filmes nomeados para os Oscars. Mas vou tentar vê-los a todos antes do grande dia, e claro dar a minha opinião e fazer a minha aposta nos vencedores. 
Acho que com tanta escandaleira em Holliwood este ano o show promete.
Se ainda não sabem quais são os nomeados, aqui vai a lista das principais categorias:







Podem ver aqui as restantes categorias.
Para já ainda não faço apostas :) 

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Diário de uma solteira

Ao passar tanto tempo solteira acabei por deixar de saber namorar, ou simplesmente "flertar".
Existe neste momento um rapaz no meu grupo de colegas de estudo que eu acho interessantíssimo e giríssimo. Acho que me podia interessar seriamente por ele. Ele é super envergonhado, super mesmo. Mas eu também sou.
Mesmo assim faço um esforço para me aproximar dele, mas ele nada de nada. Parece não mostrar o mínimo interesse em mim. Têm-me dado voltas à cabeça, estou naquela fase de já nem saber como agir quando estou na presença dele, não sei como poderei aproximar-me dele, não sei de nada.
Sinto que fiquei incapaz de recorrer a essa ciência que é chamada de engate.
Se calhar ele simplesmente não me acha interessante.
Desisto. Isto é muito difícil. Vou ficar solteira para sempre.

domingo, 21 de janeiro de 2018

A obra prima que é The end of the F***ing World

Há séries das quais gostamos, há séries que se tornam tradição, séries que nos fascinam. E depois existem séries que nos mudam, que nos tocam, que nos transformam, que nos deixam completamente extasiadas.
Esta soberba série é uma delas. 
Mesmo que vos quisesse deixar uma sinopse, ou dar-vos uma descrição não podia nem conseguia. 
Esta é das melhores obras-primas que já vi. 
Vejam. Por favor, peço-vos que vejam e que depois venham aqui dizer-me o que acharam. 
Neste momento, e sem saber se a série terminou e ou se haverá a possibilidade de mais temporadas digo com certeza que esta série de apenas 8 episódios de 20min se tornou uma preciosidade para mim. Se me perguntarem qual foi a série dos últimos tempos que mais me fascinou posso responder-vos com a maior das certezas que é esta. 
The end of the fucking world é a obra prima que toda a gente tem de ver. 



Senti vontade de voltar a escrever. Muita. Apesar de nada estar efectivamente sinto que estou num ponto de viragem na minha vida, tenho um pressentimento que tudo pode mudar a qualquer momento. É estranho.
Tenho conhecido muitas pessoas, criei uma rotina completamente diferente da que costuma ter, ando mais calma, mais em paz, mais feliz e sem motivo aparente. Gosto de mim assim.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Vou entrar em modo hibernação....

Hibernação de estudo.
Acho que nunca cheguei a contar mas este ano depois de ter concluído a licenciatura candidatei-me a vários mestrados, e a realidade é que entrei mesmo no que queria - Mestrado em Gestão Industrial.
E a minha vida tem sido procurar um emprego que me permita conciliar o as aulas de mestrado com o próprio do trabalho. Não tem sido fácil.
Como ainda não arranjei nada tenho-me dedicado a 100% no mestrado, a partir de hoje entro já em modo "exames", apesar destes só começarem em Janeiro, sinto que tenho muito pouco tempo para conseguir fazer tudo: trabalhos de grupo, relatórios, e está claro, estudar.
Hoje oficialmente começam as noitadas de estudo temperadas com bastantes cafés para se aguentarem tais maratonas.
E confesso que com este tempo, que finalmente já faz lembrar o Inverno, nem me custa assim tanto.


segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Meu querido Inverno.

Estava aqui eu a ver os meus posts antigos, e reparei que a 24 de Agosto disse o seguinte: "Já chega de verão não?"
Mal eu sabia na altura que havíamos de estar em Novembro e ainda não termos sentido um pingo de Inverno.
A mim custa-me. Custa-me mesmo.
Em primeiro lugar venho de uma zona rural, como todos já devem saber, sou de trás-os-montes uma zona do país que vive essencialmente da agricultura e do que a terra dá. Pois, mas a terra gosta de frio, de chuva, e até de gelo. Este ano, cada vez que vou passar o fim de semana lá cima oiço sempre o mesmo. Que o Inverno tarde e que vai ser o ano mais escasso em colheitas. Aperta-me o coração.
Em segundo lugar porque eu sou uma amante do Inverno, a minha estação de eleição é sem dúvida o frio. Sou feliz com frio, com as mantas, com o gelo, com a mínima possibilidade de neve, com as lareiras.
E em terceiro lugar, mais do que amante do frio sou uma forte entusiasta do Natal. E Natal sem frio não é a mesma coisa, hoje é dia 20 de Novembro e nos anos anteriores já tinha comprado prendas de Natal, já tinha a casa minimamente decorada e este ano nada. Nada de nada. E não é por falta de vontade, mas sinto que não é a mesma coisa. Enquanto os meus dedos não enregelarem de segurar nos sacos das compras de Natal.... enquanto isso não acontecer não tem o mesmo sabor.
Ontem, por exemplo, estive a ver uma comédia romântica de natal bem cliché, estava no sofá com uma mantinha, mas olhava para a janela e estava sol. SOL.
E uma coisa que me irrita mais do que tudo isto são as pessoas que estão a adorar este tempo! Essas pessoas não percebem que vai ser Junho e vais esta a chover torrencialmente??? Pessoas, quanto mais depressa o Inverno vem, mais depressa se vai.
Por isso peço a quem manda aí em cima, será S.Pedro ou outra entidade qualquer, mande o Inverno para o pé da gente que ele já tarda demasiado.


domingo, 19 de novembro de 2017

Hoje tive uma vontade imensa de voltar a escrever no blog. Apeteceu-me por momentos começar um do zero. Porque ás vezes é mesmo isso que apetece, começar do zero sem dizer nada a ninguém.
Mas mudei rapidamente de ideias. Abri o blogspot e decidi escrever, não que tenha nada para dizer, acho sinceramente que tenho uma vida demasiado desinteressante para escrever sobre ela, mas sempre usei o blog como uma espécie de diário, e é isso que vou continuar a fazer.
Estou completamente no estilo de Natal e já só quero que chegue Dezembro.
Já agendei ir fazer umas comprinhas de decoração na quarta feira por isso o meu ânimo já começa a levantar.
Tenho de fazer uma apresentação de um trabalho na terça. Hoje é domingo, fim de dia, e apenas tenho o ficheiro com a minha parte feita, o resto do meu grupo não dá sinais de vida, nem de trabalho.
Tive uma semana complicada e só quero descarregar as minhas frustrações. Tem sido complicado, mas vai-se aguentando.
Boa semana a todos, espero que estejam bem (se for o caso de ainda andar alguém por aí).

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Já chega de verão, não?

Sou só eu que estou mais que farta do Verão?
Eu gosto muito mais do Inverno e este ano o Verão parece-me interminável.
Volta meu querido Inverno. Até porque uma chuvinha não fazia mal nenhum, com a seca extrema que estamos a passar....

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Podemos ser nuvens ou ondas.

"You do not know where your decisions come from up, they pop up like hiccups. And when you make a decision, people have a great deal of anxiety when a making decision. Did I think this over long enough? Did I take enough data into consideration? If you think it through, you find you never could take enough data into consideration, the data for a decision for any given situation is infinite. What you do is you go through the motions of what you will do about this, but, worriers are people who think of all the variables beyond their control and what might happen...
You have to regard yourself as a cloud in the flesh, because, you see, clouds never make mistakes. Did you ever see a cloud that is misshapen or a badly designed wave? No, they always do the right thing. But if you would treat yourself for awhile as a cloud or wave and realize you can't make a mistake, no matter what you do, even if you do something that seems to be totally disastrous, it will all come out in the wash somehow or other. Then through this capacity you will develop confidence, through confidence you will be able to trust your own intuition. This is the middle way, of knowing it has nothing to do with your decision to do this or not, whether you decide you can't make a mistake or don't decide it, it is true anyway, that you are like cloud and water
" - Alan Watts



segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Em relação ao post anterior... Tudo correu normalmente. O passado está arrumado numa gaveta bem fechada.